domingo, 13 de março de 2011

Um pouco de história....

A pedagogia Freinet é uma importante alternativa para o trabalho em Educação Infantil. Para alguns autores essa prática nos afasta de duas tendências dominantes: o infantilismo -- que deixa a criança aquém de suas possibilidades -- e o escolarismo, que quer preparar a criança muito cedo para a escola do ensino fundamntal.

São requisitos dessa prática pedagógica, a organização no trabalho com a criança e seus princípios, a autonomia, a cooperação, a expressão livre.

Em 15 de outubro de 1896, nasce Célestin Freinet, em Gars, região de Provença, no sul da França. Na adolescência, muda-se para Nice, onde inicia o Curso de Magistério. Com o advento da Primeira Guerra Mundial (1914–1918), Freinet interrompe seus estudos e alista-se no exército. Os gases tóxicos utilizados na guerra prejudicam seus pulmões e, por isso, ele tem baixa do exército. Mesmo sofrendo desse mal, Freinet dá início às suas atividades como professor-adjunto, mesmo sem ter ainda concluído o Curso Normal. Em sua prática pedagógica, estabelece um sensível contato com os alunos, o que lhe permite desenvolver atividades voltadas para o interesse real das crianças. No período entre 1921 e 1924, trabalha, paralelamente às suas atividades de magistério, com aldeões, e funda uma Cooperativa de Trabalho. Dá início também às primeiras correspondências entre as escolas através das quais estabelece uma troca de experiências entre elas. Entre os anos de 1926 e 1928, casa-se com a artista plástica Elise, edita o livro A Imprensa na Escola, cria a revista La Gerbe (O Ramalhete), com poemas infantis, e funda a Cooperativa de Ensino Leigo; depois segue com Elise para trabalhar em Saint Paul.

Algumas técnicas criadas por Célestin Freinet.

Aula das Descobertas - Célestin Freinet acreditava muito que os interesses de seus alunos (assim como nos nossos) não estava dentro da escola e sim fora dela. Ele desenvolveu essa técnica educacional visando motivar os alunos, através da ação, tentando trazer a vida para dentro da escola.

Auto-Avaliação - São fichas feitas pelo próprio educador, nessas fichas o aluno deve registrar tudo o que aprende sempre que um tema é concluído. Assim, o educador tem a oportunidade de acompanhar o progresso do seu aluno e o aluno não se sente avaliado, o que muitas vezes prejudica.

Correção - Antes do texto ser enviado para a Impressa Escolar, é necessário que o texto seja corrigido. A correção pode ser feita pelo educador, coletivamente, individualmente ou então, através da auto-correção, assim o aluno percebe o erro e aprende com ele, o erro torna-se significativo.

Correspondência Interescolar - Nessa atividade os alunos tem a oportunidade de conhecer outros alunos de comunidades diferentes, assim eles aprendem um pouco sobre outros costumes, se deparam com outras realidades. A pluralidade é bastante desenvolvida nesta atividade. Pode começar com uma escola vizinha, se estendendo até mesmo as escolas de outros países, o material a ser enviado pode ser inúmeros: desenhos, fitas cassetes, fitas de vídeo e hoje em dia é claro o e-mail.

Fichário de Consulta - As fichas são feitas pelos próprios alunos e educadores, essas fichas servem para facilitar a assimilação de assuntos a serem estudados. São exercícios, passatempos ou artigos para simples informação. Célestin Freinet acreditava que os livros didáticos estavam muito fora da realidade dos alunos.

Impressa Escolar - Na sua época, Célestin Freinet usava o límografo para a divulgação dos textos dos seus alunos, mas com a modernidade dos dias de hoje tudo ficou mais fácil, podemos usar o computador e as máquinas de xerox. Pode ser um registro sobre aula das descobertas, uma entrevista, pesquisas entre outros. A divulgação pode ser interna, só dentro da escola ou então feito um jornalzinho enviado para outros da sociedade.

Livro da Vida - Ele é muito parecido com um diário, o registro é livre, ou seja, o aluno escreve no momento em que estiver com vontade e sobre o assunto que quiser, não precisa ser especificamente assunto escolar. O registro pode ocorrer de diversas maneiras, com desenhos, escrita, colagens ou outra forma que encontrarem.

Plano de Trabalho - São grupos de alunos que se organizam para desenvolver determinado tipo de trabalho, o educador pode partir do próprio currículo escolar e escolher o tema. O número de integrantes é livre, fica a critério da classe, o registro do trabalho do grupo deve ser feito semanalmente, para que o educador possa acompanhar o desenvolvimento até a conclusão do mesmo.

Um pouco mais sobre as técnicas da Pedagogia de Célestin Freinet
Ele criou essas técnicas baseando-se na livre expressão e nas descobertas feitas pelo tateamento experimental, a cooperativa escolar é a base para todas essas atividades serem desenvolvidas, apesar de tudo ser bem definido na Pedagogia Freinet ela deve ser vista numa totalidade e não fragmentada. Graças ao comunicação existente entre os educadores dessa pedagogia e com os avanços da informática, novas técnicas surgem e as já existentes são mais bem elaboradas.
“As técnicas Freinet não são atualmente o que eram em 1940, pois novos instrumentos e novas técnicas vieram enriquecer e, da mesma maneira, facilitar o nosso trabalho. Igualmente, não serão em 1980 o que são hoje, se formos capazes de fomentar, juntos, os progressos técnicos indispensáveis. A Escola Moderna não é nem uma capela nem um clube mais ou menos restrito, mas, na realidade, uma via que nos conduzirá aquilo que, todos juntos, construirmos”. (Célestin Freinet)

Aula-Passeio-
Biblioteca-
Cantos de Atividades-
Complexos de Interesse-
Correspondência Interescolar-
Estudo do Meio-
Fichário Autocorretivo-
Fichário Escolar Cooperativo-
Imprensa na Escola-
Jornal Escolar-
Jornal Mural-
Livro da Vida-
Planos de Trabalho-
Texto Livro.
Andreza Alves da Silva
Pedagoga formada em Administração Escolar

Nenhum comentário:

Postar um comentário